sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Flores sem espinhos - Poema de: Poeta Carlos Adriano Santos

Flores sem espinhos 

 Tente sorrir 
O mundo pode ser muito mais bonito 
Saiba que existe chão por mais profundo que seja um abismo 
Não se entregue à solidão 
Existe um coração que precisa do teu sorriso 
Problemas sempre existirão 
Na verdade eles são portas que nos mostram o paraíso 
Servem para serem superados pela certeza de jamais desistir 
E devem ser encarados como escadas para o nosso existir 
 A estrada está cheia de caminhos que levam à felicidade 
Não tema as flores com espinhos 
Elas podem ser colhidas pela metade 
Não são com seus caules que se formam os mais belos arranjos 
São com suas pétalas colhidas por mãos de anjos 

Poema de: Poeta Carlos Adriano Santos



quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Pés calejados - Poema de Carlos Adriano Santos


Pés Calejados

Tenho o pé atrás com aquelas pessoas certinhas
Cheias de não me toque
Que entortam a boca para o lado como gesto de indiferença
Prefiro mesmo é aqueles que gostam de rock
Que às vezes chutam o balde
Protestam
Detestam
Mas depois se confessam com um gesto de amor
Pessoas cheias de segredos são perigosas
Escondem seus medos atrás de um buquê de rosas
Usam de falsidade para conseguirem o que querem
Falam por trás sem se importar quando ferem
Já aprendi tanto nesta vida
Já sofri, me desiludi, me enganei com pessoas queridas
Hoje estou calejado, porém com o braço muito mais forte
Tenho como enfoque o meu travesseiro molhado
Experiencia de vida que me fez preparado
E não tem pra ninguém quando querem me fazer de palhaço
Mando todos para o além para se perderem no espaço
Sem faz de conta
Sem embaraços

Poema de: Poeta Carlos Adriano Santos