domingo, 8 de janeiro de 2017

Nas asas do pensamento - Poema de: Carlos Adriano Santos


Nas asas do pensamento

Hoje parei em frente ao mar para contemplar o horizonte
Atravessei pontes
Subi os montes
Bebi água das fontes
Além de onde o sol se esconde
Encontrei pergaminhos
Palavras gravadas nas asas dos passarinhos
De repente tudo desapareceu
Caiu um véu sobre o infinito
O céu, que era tão bonito, se recolheu
Então voltei para dentro de mim
Porque a vida é assim?
Porque os sonhos se acabam?
Porque tudo tem um fim?
Porque os odores da morte exalam?
Porque morrem as flores de um jardim?
Porque é que elas não falam?
Porque perdemos?
Porque ganhamos?
Porque não temos?
Porque procuramos?
Vida que me leva e traz
Finda quando breve jaz
Linda quando se vive em paz
Alguns dizem que, lá em cima, a vida continua
Será que depende do clima?
Ou depende das fases da lua?
Seja lá como for
Talvez eu fique por aqui
Talvez viaje num disco voador
Talvez tudo desabe sobre mim
Talvez aprenda mais sobre o amor

Poema de: Carlos Adriano Santos




Nenhum comentário:

Postar um comentário