terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

A vida é o começo que utiliza seus meios para chegar até o fim - Autor: Carlos Adriano Santos


O brilho de um sorriso - Autor: Carlos Adriano Santos


Quando tudo não diz nada - Crônica de Carlos Adriano Santos


Quando tudo não diz nada

É tanta coisa escrita
Uma verdadeira salada mista
Frases e fotos
Fases e terremotos
Tecidos rotos
Expostos em páginas de revista
Procuro algo para me socorrer
Carinho, afago
Luzes que possam se acender
Mas não encontro nada
Somente futilidades
Imagens que são manipuladas
Configuradas para satisfazer
Estampadas na capa
Hipnotismo em massa
Olhos que não podem ver
Milhares de pessoas
Seguindo o mesmo caminho
Canção que o refrão que entoa
Pede para não cantar sozinho
Notas que seguem a direção do vento
Que medem a intenção do coração
Através do pensamento
Que vagam sem saber onde estão
Não param nem sequer por um momento
Clique aqui para ver a luz do dia
Mande e-mail e encontre companhia
Compartilhe este momento de alegria
Atrás dos teclados
A cadeira pode estar vazia
Crônica de: Carlos Adriano Santos




domingo, 12 de fevereiro de 2017

#poetacarlosadrianosantos Poesia com um toque de amor escrita pelo coração

#poetacarlosadrianosantos


Poesia nos dias atuais - Autor: Carlos Adriano Santos


Hoje em dia, a poesia não é mais como antigamente
São versos pela metade
Que despertam a curiosidade
Mas que as pessoas não entendem
Os jovens frequentam a faculdade
Investem em seus sonhos e vontades
Mas no momento de falarem suas verdades
De expor seus sentimentos no papel
Expõem é a sua incapacidade
Talento que perdeu a validade
Colocadas em um liquidificador
As palavras se misturam
Procuram mas não se configuram
E no meio desta vitamina de lição
Anfetamina que contamina qualquer coração
A poesia verdadeira se dissolve
Usa-se uma peneira para ver se resolve
Mas todo o conteúdo escrito se torna vão
Um precipício que lhes puxa pelas mãos
Que se deforma e torna tudo muito vago
Está feito em seu mundo o maior estrago
O sonho se transforma em ilusão
A poesia que poderia acender a luz do dia
Acaba é ascendendo à escuridão

Autor: Carlos Adriano Santos
12/02/2017


Amigos para sempre - Poema de Carlos Adriano Santos


 "Amigos" 
 Eles se parecem tanto comigo 
Num banco de praça ou no metrô 
Não importa a sua raça 
O que importa, é o seu ser cobertor 
As vezes inalando fumaça 
Viajando num disco voador 
Dividindo a sua caça 
Imprimindo palavras de amor no corredor 
Ah, amizade que me invade até o céu 
Que me mostra toda a verdade 
Despertando a capacidade de enxergar além dos véus 
Me dotando de muita coragem 
Para seguir a viajem em meu barquinho de aluguel 
A vida não tem graça quando estamos sozinhos 
É um deserto cheio de carcaças espalhadas pelo caminho 
Olhando pela vidraça, só existem plantas com espinhos 
E o que nos levanta, é o amigo estendendo a sua mão com carinho 

 Poema de Carlos Adriano Santos


segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Estrela cadente - Poema de: Carlos Adriano Santos

Estrela cadente

Existe algo tão bonito além do infinito
Somos provenientes de estrelas cadentes
Sementes plantadas neste chão
Fonte de vida que alimenta esta corrente
Através da batida de cada coração
São tantas as formas de pensamentos
Plataforma que se deforma com o passar do tempo
Elos que se dividem
Martelos que definem para onde os corpos vão
E nesta poeira cósmica
Cada um segue o seu destino
Sonhos de uma menina mulher
Sonhos de um homem menino
Céu que se abre quando quer
Buscando se tornar divino
Luzes e lutas para os que transcendem
Cruzes ocultas para os que não compreendem
Complexidade e imensidão
Capacidade de criar algo belo
Intensidade na letra que compõe a canção
Estrelas iluminadas por um sol amarelo
Submergidas no mar da escuridão